Banda larga domina acessos à Internet em Portugal

Portugal tinha cerca de 2,6 milhões de utilizadores que efectivamente utilizaram Internet em banda larga móvel, dos quais 1,3 milhões através de placas/modem, e cerca de 2,1 milhões de clientes com acessos à Internet fixos, dos quais 2,08 milhões em banda larga, no final do 4.º trimestre de 2010.

O número de utilizadores que efectivamente acedeu à Internet em banda larga móvel aumentou 4,7% face ao 3º trimestre de 2010. Em comparação com o trimestre homólogo, o número de utilizadores aumentou 18,9%.

Quanto aos acessos fixos à Internet, o número de clientes aumentou 2,5% face ao trimestre anterior e 10,9% em termos homólogos, utilizando a larga maioria (98,6%) serviços de banda larga, num total de 2,08 milhões. Este valor representa um crescimento de 2,6% face ao trimestre anterior e de 11,3% comparativamente com o mesmo trimestre de 2010. Já o número de clientes de acesso dial-up continuou a decrescer.

Em termos de tecnologias de acesso à Internet em banda larga fixa, o ADSL continua a ser a principal, com 51,5% do total. No entanto, apresenta - pelo 3º trimestre consecutivo - crescimentos próximos de zero. O modem cabo é utilizado por 41,1% dos clientes da banda larga fixa, e neste trimestre atraiu metade das novas adesões ao serviço (em termos líquidos). A categoria "outros" - onde se incluem, por exemplo, ofertas baseadas em circuitos alugados, FWA e fibra óptica (FTTH/B) - representa apenas 7,4% do total, embora tenha igualmente atraído cerca de metade das novas adesões no trimestre em análise, resultado de crescimentos elevados (20,2%).

No trimestre em análise, contabilizaram-se cerca de 130 mil clientes de acesso à Internet através de fibra óptica (FTTH/B), um crescimento de 26,2% face ao trimestre anterior. Cerca de 96% destes clientes são residenciais. O acesso à Internet suportado em fibra óptica (FTTH/B), que atingiu 6,3% do total de clientes, atraiu cerca de 51% das novas adesões líquidas.

Relativamente às quotas de mercado, a quota de clientes do Grupo PT situou-se nos 46,8% em Dezembro, mais 0,6 pontos percentuais do que no trimestre anterior, enquanto a quota do Grupo ZON subiu para 33%, registando um aumento de 0,3 pontos percentuais face ao 3.º trimestre de 2010.

No que diz respeito às quotas de clientes de banda larga móvel com acesso através de placas/modem, a quota de clientes da TMN é de 45,8%, seguindo-se a Optimus e a Vodafone com 27,9 e 21,9%, respectivamente.

Analisando o tráfego de acesso à Internet em banda larga, verifica-se um crescimento de 23,7% no 4º trimestre, comportamento explicado sobretudo pela evolução do tráfego da banda larga fixa (mais 24%), que representa cerca de 95,2% do total. Já os acessos móveis (em GB) cresceram 13,9% no mesmo período, crescimento superior ao verificado no trimestre anterior. De referir que o tráfego gerado pelos acessos móveis com ligação através de placas/modem representa cerca de 98% do total do tráfego de acesso à Internet em banda larga móvel.

Os Grupos PT e ZON detêm as quotas de tráfego mais elevadas (45,1% e 35,4%, respectivamente). O Grupo PT foi quem mais contribuiu para o aumento do tráfego no trimestre, com uma quota marginal de 50%, seguido do Grupo ZON (37%).

No que se refere ao tráfego médio por cliente de banda larga em local fixo, cada cliente gerou, em média, 26,8 GB de tráfego por mês, o valor mais alto registado até à data, e 33% acima do valor registado no período homólogo.

Em 2010, as receitas individualizáveis do serviço de acesso à Internet fixa (acumuladas) totalizaram cerca de 391 milhões de euros. Estas receitas são provenientes de ofertas stand-alone ou de pacotes multiple play cuja componente Internet é individualizável, apresentando uma quebra de 7,8% face ao trimestre homólogo, em resultado do aumento do peso relativo de ofertas do serviço de acesso à Internet integradas em pacotes de serviços.

Quanto às receitas dos pacotes que integram o serviço de Internet fixa e que não permitem individualizar as receitas deste serviço, atingiram cerca de 215 milhões de euros, o que traduz um crescimento homólogo de 54,4%. Quanto à Internet móvel, as receitas atingiram os 376,6 milhões de euros, um valor superior em 19,6% ao registado no período homólogo.

Avaliando a taxa de penetração da Internet em banda larga, registavam-se 19,5 acessos fixos por 100 habitantes e 24,2 acessos móveis por 100 habitantes. No caso dos acessos fixos, este valor aumentou 0,5 pontos relativamente ao registado no trimestre anterior e 1,9 pontos face ao período homólogo. Refira-se ainda que a penetração das ofertas de Internet fixa suportadas em FTTH/B é de 1,22 por 100 habitantes.

Consulte o relatório estatístico: