Tráfego dos serviços postais explorados em concorrência atinge 78 milhões de objectos

Durante o 4.º trimestre de 2007, o tráfego dos serviços postais explorados em regime de concorrência atingiu cerca de 78 milhões de objectos.

O tráfego postal de serviços liberalizados cresceu 10,3% face ao trimestre anterior e 0,8% em termos homólogos. O último trimestre de cada ano é sempre caracterizado por um significativo aumento do tráfego postal associado ao período do Natal e Ano Novo.

No período em análise, o tráfego postal nacional totalizou cerca de 72 milhões de objectos, tendo o tráfego internacional de saída registado quase seis milhões de objectos. O tráfego nacional representa 93% do total do tráfego postal explorado em concorrência e o tráfego internacional de saída os restantes 7%.

Pelos motivos sazonais referidos, o tráfego total cresceu de forma significativa (10%) neste último trimestre do ano. Em termos homólogos, o tráfego total cresceu a uma taxa inferior a 1%.

O tráfego nacional foi o principal responsável pelo crescimento verificado, tendo aumentado cerca de 11,8% em relação ao trimestre anterior e 1,9% em termos homólogos.

O tráfego internacional de saída caiu 5,6% em relação ao trimestre anterior. Face ao período homólogo sofreu uma redução de 10,9%.

A diminuição do tráfego internacional de saída em termos trimestrais foi principalmente influenciada pela redução de tráfego de correspondências distribuídas pelas empresas do Grupo CTT. O decréscimo em termos anuais é ainda explicado pela redução do tráfego do correio editorial do Grupo CTT no segmento internacional. De facto, as alterações ocorridas no enquadramento legal do Porte Pago têm afectado a evolução deste tipo de objecto postal.

Na área liberalizada, o Grupo CTT foi responsável por cerca de 95% do tráfego nacional e por 84% do tráfego internacional de saída.

Neste período, dos cerca de 78 milhões de objectos postais explorados em regime liberalizado, aproximadamente 5 milhões enquadravam-se na categoria de correio expresso e cerca de 72 milhões integravam as restantes categorias de serviços. O correio expresso representava cerca de 7% do total do tráfego explorado em concorrência, enquanto que as restantes categorias constituíam 93% do total.

Neste trimestre, o tráfego dos serviços de correio expresso cresceu 21,6% em relação ao trimestre anterior, devido particularmente ao acréscimo de encomendas postais nacionais. Os serviços não enquadrados na categoria de correio expresso registaram um crescimento de 9,5%, provocado pelo aumento trimestral do correio editorial e da publicidade endereçada do Grupo CTT no segmento nacional.

Em termos homólogos, o tráfego dos serviços de correio expresso cresceu cerca de 7%, enquanto o tráfego dos serviços não enquadrados nesta categoria cresceu apenas 0,4%.

No que diz respeito à estrutura da oferta, no final de 2007 as empresas do Grupo CTT detinham uma quota de 42,6% do tráfego do correio expresso (menos 0,9 pontos percentuais do que a registada no trimestre anterior) e de 97,6% do tráfego dos serviços não enquadrados na categoria de correio expresso.


Consulte: