Perfil do consumidor


/ Atualizado em 10.09.2009

Apresenta-se de seguida o perfil do consumidor1 de serviços de comunicações electrónicas de acordo com a região, a estrutura familiar, a classe social, o escalão etário, o nível de escolaridade e a condição perante o trabalho. Apenas são mencionados no texto as diferenças estatisticamente significativas.

Região

A utilização dos serviços de comunicações electrónicas varia consoante a região onde o agregado familiar se insere.

Segundo os dados deste inquérito, o consumo do serviço telefónico móvel (M) é mais elevado nas regiões de Lisboa e Madeira, ultrapassando os 80 por cento em cada uma das regiões. É na região Centro que este serviço é menos utilizado (69 por cento).

Gráfico 3 - Posse de serviços de comunicações electrónicas por região NUTS II

O consumo do serviço telefónico móvel é mais elevado nas regiões de Lisboa e Madeira, ultrapassando os 80 por cento em cada uma das regiões. É na região Centro que este serviço é menos utilizado (69 por cento).
(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

A taxa de penetração do serviço telefónico fixo (F) é superior nas regiões do Alentejo e Açores e mais reduzida na Região Autónoma da Madeira.

A taxa de penetração do serviço de acesso à Internet (I) ultrapassa os 50 por cento apenas na região de Lisboa. As regiões Alentejo e Centro evidenciam as menores taxas de penetração deste serviço (38 e 40 por cento).

O consumo do serviço de TV por subscrição (TV) é mais elevado nas Regiões Autónomas.

Estrutura familiar e classe social

Este inquérito evidencia que a presença de crianças no agregado familiar influencia o consumo do serviço telefónico móvel, do serviço de acesso à Internet e do serviço de TV por subscrição.

Já a presença de idosos no agregado familiar tende a reflectir-se num maior consumo do serviço telefónico fixo.

Quadro 5 - Posse de serviços de comunicações electrónicas pela presença de crianças ou idosos no agregado familiar

 

M

F

I

TV

Agregado familiar com ...

    ... crianças

91,6

47,7

51,6

54,8

    ... idosos

62,0

69,6

23,8

36,7

Total

75,8

55,2

45,8

42,2

A dimensão do agregado familiar e a sua classe social são factores que também influenciam a utilização dos serviços de comunicações electrónicas.

Nos agregados familiares de pequena dimensão (um a dois indivíduos) a utilização destes serviços tende a ser menor que nos agregados familiares com três ou mais indivíduos.

Por outro lado, quanto maior a classe social, maior é o consumo dos diversos serviços de comunicações electrónicas.

À medida que a classe social do agregado familiar diminui observa-se uma quebra na penetração, nomeadamente, dos serviços de acesso à Internet e TV por subscrição.

Na classe social mais baixa (D) o consumo do serviço telefónico móvel é mais baixo que nas restantes classes sociais. 

Gráfico 4 - Posse de serviços de comunicações electrónicas por dimensão familiar

A dimensão do agregado familiar e a sua classe social são factores que também influenciam a utilização dos serviços de comunicações electrónicas.
(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

Gráfico 5 - Posse de serviços de comunicações electrónicas por classe social

Quanto maior a classe social, maior é o consumo dos diversos serviços de comunicações electrónicas.
(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

Escalão etário, nível de escolaridade e condição perante o trabalho

A idade, o nível de escolaridade e a condição perante o trabalho afectam o tipo de consumo de serviços de comunicações electrónicas.

Os indivíduos até aos 55 anos tendem a ter um consumo de serviços de comunicações electrónicas relativamente semelhante.

As diferenças mais significativas ocorrem no grupo a partir dos 55 anos onde se observa um menor consumo do serviço telefónico móvel, do serviço de acesso à Internet e do serviço de TV por subscrição e, em oposição, um maior consumo do serviço telefónico fixo.

Gráfico 6 - Posse de serviços de comunicações electrónicas por escalão etário

A idade, o nível de escolaridade e a condição perante o trabalho afectam o tipo de consumo de serviços de comunicações electrónicas.
(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

Os indivíduos com um nível de escolaridade até ao 1º ciclo do ensino básico apresentam uma taxa de penetração do serviço telefónico fixo bastante superior aos restantes.

Gráfico 7 - Posse de serviços de comunicações electrónicas por nível de escolaridade

Os indivíduos com um nível de escolaridade até ao 1º ciclo do ensino básico apresentam uma taxa de penetração do serviço telefónico fixo bastante superior aos restantes.
(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

Maiores níveis de escolaridade estão associados a um maior consumo do serviço telefónico móvel, do serviço de acesso à Internet e do serviço de TV por subscrição.

A taxa de penetração do serviço telefónico móvel e do serviço de acesso à Internet é superior no grupo de indivíduos “estudantes”.

Gráfico 8 - Posse de serviços de comunicações electrónicas por condição perante o trabalho

A taxa de penetração do serviço telefónico móvel e do serviço de acesso à Internet é superior no grupo de indivíduos ''estudantes''.
(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

A população reformada tende a preferir o serviço telefónico fixo por comparação aos restantes serviços de comunicações electrónicas.

Notas
nt_title
 
1 Dada a natureza dos serviços de comunicações electrónicas, o serviço telefónico móvel tem por unidade de análise o “indivíduo” e os restantes serviços o “agregado familiar”. Os resultados relativos ao acesso à Internet advêm da aplicação de um ponderador específico que resulta de uma estratificação a posteriori com base em informação auxiliar sobre o acesso ao serviço de Internet disponibilizada pelo Instituto Nacional de Estatística.