Pacotes de serviços de comunicações eletrónicas - 3.º trimestre de 2017



Sumário

Subscritores de pacote de serviços atingiram 3,7 milhões (9 em cada 10 famílias)

No final do 3.º trimestre de 2017 (3T2017), cerca de 9 em cada 10 famílias dispunham de um pacote de serviços. O número de subscritores destas ofertas atingiu 3,7 milhões (+82 mil ou +2,3% que no trimestre anterior e +7,4% face ao trimestre homólogo)1.

O crescimento verificado está associado aos pacotes STF+BLF+TVS (+28 mil), à oferta 5P (+46 mil subscritores) e ao pacote TVS+BLM (+26 mil).

Pacotes convergentes representavam 46,9% do total

A modalidade de ofertas em pacote mais popular continuou a ser a oferta 5P (BLF+STF+TVS+STM+BLM), com 1,537 milhões de subscritores (41,6%), seguindo-se a modalidade STF+BLF+TVS, com 1,502 milhões de subscritores (40,7%).

Os pacotes convergentes atingiram 1,7 milhões de subscritores (+3,9% face ao trimestre anterior) representando 46,9% das ofertas em pacote.

Receitas cresceram 5,9%

Entre janeiro e setembro de 2017, as receitas dos serviços em pacote foram de 1,3 mil milhões de euros (+5,9% do que no mesmo período do ano anterior).

No 3T2017 a fatura média mensal dos agregados familiares com ofertas em pacote foi de 51,76 euros, incluindo IVA.

Quotas de subscritores e receitas

No trimestre em análise, a MEO detinha a quota de subscritores de pacotes mais elevada (39,9%), seguindo-se o Grupo NOS (38,5%), a Vodafone (16,7%) e o Grupo Apax (4,8%).

Em termos de receitas, a MEO tinha uma quota de 41,4 %, seguindo-se o Grupo NOS (40,6%). O Grupo NOS liderava nas modalidades 3P e 4P enquanto a MEO liderava nas modalidades 2P e 5P.

1. Prestadores e ofertas dos serviços em pacote1

No 3.º trimestre de 2017 (3T2017), 12 entidades ofereciam pacotes de serviços de comunicações eletrónicas2.

Tabela 1 - Entidades que reportaram informação estatística sobre pacotes de serviços - 3T2017

Designação

NOWO COMMUNICATIONS, S.A.3,4

COLT Technology Services, Unipessoal, Lda.

CYCLOP NET - Informática e Telecomunicações, Lda.

IPTV TELECOM - Telecomunicações, Lda.

MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A.5

NOS Açores - Comunicações, S.A.6

NOS Madeira - Comunicações, S.A. 6

NOS – Comunicações, S.A. 6

ONITELECOM - Infocomunicações, S.A. 4

PINKHAIR - Unipessoal, Lda.

STV - Sociedade de Telecomunicações do Vale do Sousa, S.A.

VODAFONE PORTUGAL - Comunicações Pessoais, S.A.

Fonte: ANACOM

Entre os prestadores de serviços em pacote, sete ofereciam pacotes com três serviços (triple play ou 3P), seis ofereciam pacotes com quatro ou mais serviços (quadruple/quintuple play ou 4P/5P) e seis ofereciam exclusivamente pacotes double/triple play (2P/3P) apenas com serviços fixos.

Tabela 2 - Número de prestadores que reportaram informação estatística por tipo de oferta

 

3T2016

2T2017

3T2017

Multiple play

11

12

12

pacotes double play

11

12

12

  dos quais: STF+BLF

8

8

8

  dos quais: STF+TVS

7

7

7

pacotes triple play

7

7

7

  dos quais: STF+BLF+TVS

7

7

7

pacotes quadruple/quintuple play

6

6

6

  dos quais: BLF+STF+TVS+STM+BLM

6

6

6

Unidade: número de prestadores
Fonte: ANACOM

Nota: STF - Serviços telefónico fixo; BLF - Banda larga fixa; TVS - Serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição; STM - Serviço telefónico móvel; BLM - Banda larga móvel (incluindo as modalidades suportadas em PC/tablet e a designada Internet no telemóvel).

Durante o 3T2017, registaram-se algumas alterações significativas nas ofertas comerciais disponíveis. Alguns prestadores lançaram ofertas de Internet em local fixo com 1 Gbps de velocidade de download e 200 Mbps de velocidade de upload. Estas ofertas em pacote incluem ainda 30 GB de tráfego de Internet através de PC/tablet, 10 GB por cartão para Internet no telemóvel e 20 GB para aplicações específicas. Destaca-se ainda a introdução de novas ofertas 4P sem telefonia fixa.

2. Penetração e número de subscritores de serviços em pacote

A penetração dos pacotes de serviços atingiu 90,6 por 100 famílias clássicas no 3T2017 (+2 pontos percentuais face ao trimestre anterior e +6,3 pontos percentuais face ao trimestre homólogo).

Estima-se que 37,2% das famílias clássicas dispunham de um pacote de serviços 3P, que 40,4% dispunham de um pacote de serviços 4P/5P e que 42,5% dispunham de um pacote convergente7.

O número de subscritores das ofertas em pacote atingiu 3,7 milhões no 3T2017, +2,3% (+82 mil) do que no trimestre anterior e +7,4% (+254 mil) face ao trimestre homólogo. Tratou-se do crescimento mais elevado registado nos últimos quatro trimestres.

O crescimento verificado está associado aos pacotes STF+BLF+TVS (+28 mil), à oferta 5P (+46 mil subscritores) e ao pacote TVS+BLM (+26 mil) que passou a ser o terceiro pacote 2P com mais subscritores.

Tabela 3 - Número de subscritores de pacotes de serviços, por tipo
  3T2016 2T2017 3T2017 Variação trimestral Variação homóloga
Multiple play 3 442 3 613 3 696 2,30% 7,40%
pacotes double play 502 516 531 2,80% 5,70%
     dos quais: STF+BLF 181 176 174 -1,50% -4,10%
     dos quais: STF+TVS 280 250 240 -4,00% -14,10%
     dos quais: TVS+BLM : 42 68 62,40% :
     dos quais: BLF+TVS  37 45 46 2,70% 23,00%
pacotes triple play 1 414 1 492 1 518 1,80% 7,40%
     dos quais: STF+BLF+TVS 1 388 1 475 1 502 1,90% 8,20%
pacotes quadruple/quintuple play 1 526 1 605 1 647 2,60% 7,90%
     dos quais: BLF+STF+TVS+STM+BLM 1 391 1 491 1 537 3,10% 10,60%

Unidades: milhares de subscritores, %
Fonte: ANACOM

Nota: STF - Serviços telefónico fixo; BLF - Banda larga fixa; TVS - Serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição; STM - Serviço telefónico móvel; BLM - Banda larga móvel (incluindo as modalidades suportadas em PC/tablet e a designada Internet no telemóvel).

O número de subscritores registado no 3T2017 encontra-se acima do intervalo de previsão que resulta do comportamento histórico recente.

Gráfico 1 - Evolução do número de subscritores de pacote de serviços e intervalo de previsão

A oferta 5P (BLF+STF+TVS+STM+BLM) continuou a ser a mais utilizada no 3T2017, com 1,537 milhões de subscritores (41,6%), seguindo-se a modalidade STF+BLF+TVS, com 1,502 milhões de subscritores (40,7%).

Tabela 4 - Distribuição do número de subscritores de pacotes de serviços, por tipo

 

3T2016

2T2017

3T2017

pacotes double play

14,6

14,3

14,4

     dos quais: STF+BLF

5,3

4,9

4,7

     dos quais: STF+TVS

8,1

6,9

6,5

pacotes triple play

41,1

41,3

41,1

     dos quais: STF+BLF+TVS

40,3

40,8

40,7

pacotes quadruple/quintuple play

44,3

44,4

44,6

     dos quais: BLF+STF+TVS+STM+BLM

40,4

41,3

41,6

Unidade: %
Fonte: ANACOM

Nota: STF - Serviços telefónico fixo; BLF - Banda larga fixa; TVS - Serviço de sinais de distribuição de TV por subscrição; STM - Serviço telefónico móvel; BLM - Banda larga móvel (incluindo as modalidades suportadas em PC/tablet e a designada Internet no telemóvel).

Os pacotes convergentes atingiram 1,7 milhões de subscritores (+3,9% face ao trimestre anterior) representando 46,9% das ofertas em pacote. A maioria das subscrições de 4/5P tem mais de um cartão móvel integrado no pacote de serviços. Segundo os dados do Barómetro de Telecomunicações (BTC) da Marktest )8 relativos ao 3T2017, cerca de 39,7% dos clientes do serviço telefónico móvel (voz/dados) com 15 ou mais anos subscreveram o serviço integrado num pacote com outros serviços fixos.

3. Receitas dos serviços em pacote e fatura média das famílias

As receitas de serviços em pacote registadas entre janeiro e setembro de 2017 foram de 1,3 mil milhões de euros, +5,9% do que no mesmo período do ano anterior. A taxa de crescimento das receitas de pacotes desde o início do ano é significativamente inferior à registada em períodos anteriores (no 3T2016 as receitas tinham crescido 11,6%).

As receitas de ofertas 5P representavam 57,2% do total.

Tabela 5 - Receita de pacotes de serviços, por tipo

 

janeiro - setembro 2016

janeiro - setembro 2017

Variação homóloga

Multiple play

1 250 353

1 323 884

5,9%

pacotes double play

 106 276

 99 415

-6,5%

     dos quais: STF+BLF

 34 528

 34 503

-0,1%

     dos quais: STF+TVS

 62 442

 51 623

-17,3%

pacotes triple play

 402 158

 420 168

4,5%

     dos quais: STF+BLF+TVS

 387 771

 410 066

5,7%

pacotes quadruple/quintuple play

 741 918

 804 301

8,4%

     dos quais: BLF+STF+TVS+STM+BLM

 683 403

 757 236

10,8%

Unidades: milhares de euros (sem IVA), %
Fonte: ANACOM

Nota: STF – Serviços telefónico fixo; BLF – Banda larga fixa; TVS – Serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição; STM – Serviço telefónico móvel; BLM – Banda larga móvel (incluindo as modalidades suportadas em PC/tablet e a designada Internet no telemóvel).

A receita média mensal por subscritor dos serviços em pacote atingiu 40,80 euros (-1,8% face ao período homólogo).

Tabela 6 - Receita média mensal por subscritor de pacote de serviços, por tipo

 

janeiro - setembro 2016

janeiro - setembro 2017

Variação homóloga

Multiple play

41,53

40,80

-1,8%

pacotes double play

23,53

21,41

-9,0%

     dos quais: STF+BLF

23,42

21,58

-7,8%

     dos quais: STF+TVS

23,54

22,34

-5,1%

pacotes triple

32,53

31,52

-3,1%

     dos quais: STF+BLF+TVS

32,00

31,18

-2,6%

pacotes quadruple/quintuple play

56,09

55,58

-0,9%

     dos quais: BLF+STF+TVS+STM+BLM

57,20

56,50

-1,2%

Unidade: euros (sem IVA), %
Fonte: ANACOM

Nota 1: O cálculo da receita média mensal recorreu ao número médio de subscritores no respetivo período.
Nota 2: STF - Serviços telefónico fixo; BLF - Banda larga fixa; TVS - Serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição; STM - Serviço telefónico móvel; BLM - Banda larga móvel (incluindo as modalidades suportadas em PC/tablet e a designada Internet no telemóvel).
Nota 3: As receitas da componente móvel dos pacotes não incluem as receitas móveis adicionais como tráfego adicional não incluído na mensalidade ou Add-On's, as quais são reportadas nas receitas dos serviços móveis.

Fatura média mensal dos agregados familiares

Segundo o BTC8 da Marktest, no 3T2017 a fatura média mensal dos agregados familiares com ofertas em pacote foi de 51,76 euros, incluindo IVA. A fatura média diminuiu relativamente aos trimestres anterior (-1,1%) e homólogo (-0,9%), atingindo os níveis registados no final de 2015.

Gráfico 2 - Fatura média mensal dos clientes residenciais com as ofertas em multiple play

4. Estrutura da oferta e mudança de prestador

No trimestre em análise, a MEO detinha a quota de subscritores de pacotes de serviços mais elevada (39,9%).

A seguir à MEO surgia o Grupo NOS (38,5%), a Vodafone (16,7%) e o Grupo Apax (4,8%).

Tabela 7 - Quotas de subscritores de serviços prestados em pacote multiple play

 

3T2016

2T2017

3T2017

Variação trimestral

(p.p)

Variação homóloga
(p.p)

MEO5

40,0%

39,5%

39,9%

0,3

-0,1

Grupo NOS

39,5%

39,0%

38,5%

-0,5

-1,0

  NOS Comunicações

37,0%

36,5%

36,0%

-0,5

-1,0

  NOS Madeira

1,7%

1,7%

1,7%

0,0

0,0

  NOS Açores

0,8%

0,8%

0,8%

0,0

0,0

Vodafone

15,5%

16,4%

16,7%

0,3

1,3

Grupo Apax4

5,0%

4,9%

4,8%

-0,1

-0,2

  Cabovisão/NOWO3

5,0%

4,9%

4,8%

-0,1

-0,2

  Onitelecom

0,0%

0,0%

0,0%

0,0

0,0

Outros prestadores

0,0%

0,1%

0,1%

0,0

0,0

Unidade: %, p.p.
Fonte: ANACOM

Nota: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que ocupam nesta tabela não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou do desempenho desses operadores nos segmentos em que atuam.

De acordo com a informação disponível, e atendendo à quota de subscritores, o Grupo NOS continua a liderar nas modalidades 3P e 4P (com quotas de 36,2 e 75,7%, respetivamente), enquanto a MEO liderava nas modalidades 2P e 5P (43,4 e 48,0%, respetivamente).

Tabela 8 - Quotas de subscritores de serviços prestados em pacote por modalidade - 3T2017

 

Multiple play

Double play

Triple play

Quadruple play

Quintuple play

MEO5

39,9

43,4

32,7

8,8

48,0

Grupo NOS

38,5

31,5

36,2

75,7

40,5

  NOS Comunicações

36,0

29,8

33,6

40,6

40,2

  NOS Madeira

1,7

1,2

1,8

22,6

0,3

  NOS Açores

0,8

0,6

0,8

12,5

0,0

Vodafone

16,7

16,4

25,7

5,9

8,8

Grupo Apax4

4,8

8,3

5,5

9,6

2,7

  NOWO3

4,8

8,3

5,5

9,6

2,7

  Onitelecom

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

Outros prestadores

0,1

0,4

0,0

0,0

0,0

Unidade: %
Fonte: ANACOM

Nota 1: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que ocupam nesta tabela não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou do desempenho desses operadores nos segmentos em que atuam.
Nota 2: A classificação das ofertas em triple play, quadruple play e quintuple play não é necessariamente idêntica à utilizada pelos prestadores visto que a ANACOM considera a designada Internet no telemóvel como um serviço autónomo.

Em termos de receitas, no 3T2017, a MEO5 era o principal prestador de serviços em pacote, com uma quota de cerca de 41,4%, seguindo-se o Grupo NOS (40,6%), a Vodafone (14,7%) e o Grupo Apax3 (3,3%).

A Vodafone foi o prestador que mais aumentou a sua quota de receitas de pacote de serviços face ao trimestre anterior (0,2 pontos percentuais).

Tabela 9 - Quotas de receitas de serviços prestados em pacote multiple play

 

3T2016

2T2017

3T2017

Variação trimestral

(p.p)

Variação homóloga
(p.p)

MEO5

43,4%

41,6%

41,4%

-0,3

-2,0

Grupo NOS

39,0%

40,4%

40,6%

0,1

1,5

  NOS Comunicações

36,8%

38,0%

38,1%

0,1

1,3

  NOS Madeira

1,5%

1,7%

1,7%

0,0

0,2

  NOS Açores

0,7%

0,8%

0,8%

0,0

0,1

Vodafone

13,3%

14,5%

14,7%

0,2

1,4

Grupo Apax4

4,3%

3,4%

3,3%

0,0

-0,9

  Cabovisão/NOWO3

4,3%

3,4%

3,3%

0,0

-0,9

  Onitelecom

0,0%

0,0%

0,0%

0,0

0,0

Outros prestadores

0,0%

0,0%

0,0%

0,0

0,0

Unidade: %, p.p
Fonte: ANACOM

Nota: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que ocupam nesta tabela não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou do desempenho desses operadores nos segmentos em que atuam.

Por modalidade de pacote e atendendo à informação disponível, o Grupo NOS detinha a maior quota de receitas nos pacotes 3P e 4P (38,9 e 79,4%, respetivamente) enquanto a MEO liderava nas modalidades 2P e 5P (38,8 e 48,5%, respetivamente).

Tabela 10 - Quotas de receitas de serviços prestados em pacote por modalidade - 3T2017

 

Multiple play

Double play

Triple play

Quadruple play

Quintuple play

MEO5

41,4

38,8

32,9

8,2

48,5

Grupo NOS

40,6

32,2

38,9

79,4

40,2

  NOS Comunicações

38,1

30,3

35,7

46,1

39,9

  NOS Madeira

1,7

1,3

2,1

22,5

0,2

  NOS Açores

0,8

0,6

1,0

10,9

0,0

Vodafone

14,7

17,5

23,3

6,9

10,0

Grupo Apax3

3,3

11,0

4,9

5,5

1,4

  NOWO

3,3

11,0

4,9

5,5

1,4

  Onitelecom

0,0

0,0

0,0

0,0

0,0

Outros prestadores

0,0

0,6

0,0

0,0

0,0

Unidade: %
Fonte: ANACOM

Nota 1: Existem operadores que atuam em segmentos específicos de mercado. A posição relativa que ocupam nesta tabela não deve ser interpretada como um indicador da qualidade dos serviços prestados ou do desempenho desses operadores nos segmentos em que atuam.
Nota 2: A classificação das ofertas em triple play, quadruple play e quintuple play não é necessariamente idêntica à utilizada pelos prestadores visto que a ANACOM considera a designada Internet no telemóvel como um serviço autónomo.

Mudança de prestador

De acordo com o BTC da Marktest8, a percentagem de clientes de serviços em pacote que manifestaram não ter qualquer intenção de mudar de prestador nos próximos 3 meses manteve-se nos 69,7% no 3T2017.

Gráfico 3 - Intenção de mudança de prestador do serviço em pacote nos próximos 3 meses pelos clientes residenciais

 

Notas
nt_title
 
1 Neste relatório não se consideram pacotes que incluam apenas serviços móveis.
2 Até 2010 consideraram-se pacotes de serviços todas as ofertas comerciais de um único operador que incluem dois ou mais serviços e dispõem de um tarifário integrado e uma fatura única Alteração da definição de pacote de serviços no âmbito do questionário trimestral dos serviços de comunicações eletrónicas em local fixo e VoIP nómadahttps://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1195117). Até ao 2T2014 os pacotes reportados pelos prestadores não consideravam o plafond de tráfego de Internet no telemóvel como um serviço adicional. A partir do 2T2014, esta situação foi alterada. No entanto, o número de subscritores e as receitas de pacotes de períodos anteriores não foram alterados de acordo com este entendimento.
3 A partir do dia 18 de outubro de 2016, a Cabovisão - Televisão por Cabo S.A. passou a ter como denominação social «NOWO Communications, S.A.».
4 A 20 de janeiro de 2016, a Altice anunciou a conclusão da alienação da ONI e da Cabovisão ao fundo de investimento Apax France.
5 A 29 de dezembro de 2014 ocorreu a fusão por incorporação da sociedade MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A. na sociedade PT Comunicações, S.A., e verificou-se a alteração da denominação social desta para MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A.; em 2 de junho de 2015, a Altice completou a aquisição de 100 por cento do capital da PT Portugal, SGPS que detém a MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia S.A., tendo a Comissão Europeia imposto o desinvestimento da Altice na ONI e na Cabovisão.
6 A 16 de maio de 2014, a sociedade ZON TV Cabo Portugal, S.A. foi incorporada, por fusão, na sociedade Optimus - Comunicações, S.A. (sociedade incorporante). Também nesta data a Optimus - Comunicações, S.A. alterou a sua designação para NOS Comunicações, S.A. A 24 de junho de 2014, a ZON TV Cabo Madeirense alterou a sua designação para NOS Madeira - Comunicações, S.A. e a ZON TV Cabo Açoreana alterou a sua designação para NOS Açores - Comunicações, S.A., constituindo o Grupo NOS.
7 Pacotes que conjugam serviços prestados em local fixo com serviços móveis.
8 O Barómetro de Telecomunicações (BTC) é um estudo regular da Marktest para o sector das telecomunicações. O universo do Barómetro de Telecomunicações - Rede Fixa é composto pelos lares de Portugal Continental e Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores. Mensalmente é recolhida uma amostra proporcional ao universo em estudo e representativa do mesmo, correspondendo a 1150 entrevistas por mês. A análise dos dados do BTC é feita para um período trimestral. A amostra de lares garante uma margem de erro absoluta máxima de 1,7 pontos percentuais (questões efetuadas à totalidade dos lares).