Serviços postais - 3.º trimestre de 2017

Esta informação é propriedade de ANACOM

Esta informação é propriedade de ANACOM


Nota inicial

Alguns prestadores consideram que (pelo menos) alguns dos serviços por si prestados não se enquadram na definição de serviço postal, não tendo por isso reportado informação estatística desde o 3.º trimestre de 2014. Esta situação encontra-se a ser analisada. Desta forma, no presente relatório não é publicada informação sobre o correio expresso (tráfego, quotas e receitas). Ao longo do relatório apresentam-se, nalgumas situações, estimativas para a informação não reportada. Estas estimativas são calculadas tendo em conta a informação histórica.

Sumário

Tráfego total dos serviços postais diminuiu 7,1%

No trimestre em análise, o tráfego total dos serviços postais1 diminuiu 8,3% em comparação com o 2T2017 e 7,1% em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior. A capitação postal atingiu 17,4 objetos postais por habitante.


Serviço universal representa 84,1% % total do tráfego

Do total de objetos distribuídos, 95,5% destinaram-se ao mercado nacional, enquanto os restantes 4,5% tiveram como destino outros países. Cerca de 79,2% do tráfego postal dizia respeito a correspondências, 7,3% era correio editorial e 7,9% publicidade endereçada. As encomendas representavam 5,6% do tráfego total. Cerca de 84,1% do tráfego era abrangido pelos limites do serviço universal.

Quota do grupo CTT

O grupo CTT dispunha de uma quota de 91,7% do tráfego postal total1.

Receitas dos serviços postais aumentam 0,7%

No 3T2017, as receitas provenientes dos serviços postais totalizaram cerca de 152 milhões de euros1, mais 0,7% do que no 3T2016. A receita média por objeto aumentou 8,4% face ao trimestre homólogo.

O número de trabalhadores diminuiu 0,5%

No final do 3T2017, existiam cerca de 14,8 mil trabalhadores afetos à exploração dos serviços postais. O número de trabalhadores diminuiu 0,5% relativamente ao 3T2016.


1. Prestadores de serviços postais2

Os serviços postais3 são prestados mediante a atribuição de uma licença individual (no caso de serviços abrangidos pelos limites do serviço universal) ou de uma autorização geral.

No decorrer do 3.º trimestre de 2017, 61 entidades registaram atividade na prestação de serviços fora do âmbito do serviço universal (principalmente correio expresso), enquanto 11 exerceram atividade prestando serviços no âmbito do serviço universal (Vd. Tabela 1 e Anexo). Entre estes últimos operadores encontra-se a concessionária do Serviço Postal Universal (CTT).

Tabela 1 - Número de prestadores em atividade

3T2016

4T2016

1T2017

2T2017

3T2017

Serviços fora do âmbito do serviço universal

60

60

61

61

61

Serviços no âmbito do serviço universal

10

10

11

11

11

Fonte: ANACOM
Unidade: N.º de prestadores
Nota 1: Prestadores com título habilitante que, de acordo com a informação estatística disponível, registaram tráfego postal no período em análise.

Refira-se que o prestador CTTexpresso, apesar de estar legalmente habilitado a prestar, simultaneamente, serviços de correio expresso e serviços não enquadrados na categoria de correio expresso, continuava a dedicar-se exclusivamente à oferta de serviços de correio expresso.

2. Tráfego dos serviços postais

No 3T2017 o tráfego dos serviços postais diminuiu 8,3% face ao trimestre anterior, atingindo 179,1 milhões de objetos. Em comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, o tráfego diminuiu 7,1%.

Tabela 2 - Tráfego postal total

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

Tráfego Total

192 909

195 327

179 126

-8,3%

-7,1%

Fonte: ANACOM
Unidade: Milhares de objetos, %
Nota 1: Consideraram-se as definições de tráfego postal resultantes da Lei n.º17/2012, de 26 de abril.

O tráfego postal apresenta uma diminuição de natureza sazonal no segundo e terceiro trimestres de cada ano, bem como – desde 2008 - uma tendência anual decrescente resultante da substituição dos envios postais por comunicações eletrónicas (ver gráfico 1). O valor observado neste trimestre situou-se dentro do intervalo de previsão resultante da tendência histórica estimada.

Gráfico 1 - Evolução trimestral do tráfego postal total

O tráfego abrangido pelos limites do Serviço Universal representava 84,1% do total de objetos postais4. O tráfego abrangido pelos limites do serviço universal diminuiu 8,5% face ao trimestre anterior e ao período homólogo.

2.1. Tráfego por destino do envio (nacional/internacional)

Do total de objetos distribuídos no trimestre, 95,5% destinaram-se ao mercado nacional, enquanto os restantes 4,5% tiveram como destino o mercado internacional.

Tabela 3 - Tráfego postal total – por destino

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

1. Nacional

184 944

187 565

171 042

-8,8%

-7,5%

2. Internacional (saída)

7 965

7 762

8 084

4,1%

1,5%

Tráfego total

192 909

195 327

179 126

-8,3%

-7,1%

Fonte: ANACOM
Unidade: Milhares de objetos, %
Nota 1: Consideraram-se as definições de tráfego postal resultantes da Lei n.º17/2012, de 26 de abril.

2.2. Tráfego por tipo de objeto

No 3.º trimestre de 2017, cerca de 79,2% do tráfego postal dizia respeito a correspondências, 7,3% era a correio editorial e 7,9% publicidade endereçada. As encomendas representavam 5,6% do tráfego total, mais 0,7 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.

Gráfico 2 - Distribuição do tráfego postal total por tipo de objeto

Face ao período homólogo, os envios de correspondência diminuíram 7,6%. O correio editorial e a publicidade endereçada diminuíram 0,6% e 12,9% em relação ao mesmo período do ano anterior, respetivamente. As encomendas aumentaram 0,5% face ao trimestre homólogo.

Tabela 4 - Tráfego postal total - por tipo de objeto

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

1. Correspondências

153 555

153 873

141 897

-7,8%

-7,6%

2. Correio Editorial

13 180

14 884

13 098

-12,0%

-0,6%

3. Publicidade Endereçada

16 184

17 024

14 094

-17,2%

-12,9%

4. Encomendas

9 990

9 546

10 037

5,1%

0,5%

Tráfego total

192 909

195 327

179 126

-8,3%

-7,1%

Fonte: ANACOM
Unidade: Milhares de objetos, %
Nota 1: Consideraram-se as definições de tráfego postal resultantes da Lei n.º17/2012, de 26 de abril.
Nota 2: A informação histórica referente ao tráfego de encomendas apresenta diferenças em relação aos relatórios de trimestres anteriores porque alguns prestadores procederam a uma reclassificação do tipo de objeto reportado.

2.3. Capitação postal

Em média, foram enviados 17,4 objetos postais por habitante no 3T2017, menos 1,6 objetos per capita face ao 2.º trimestre de 2017 e menos 1,3 face ao 3.º trimestre de 20165.

2.4. Quotas de tráfego

Como se pode observar na Tabela 5, o grupo CTT dispunha de uma quota de 91,7% do tráfego postal total.

Tabela 5 - Quotas de Tráfego postal total

3T2016

4T2016

1T2017

2T2017

3T2017

Grupo CTT

92,0%

91,8%

92,8%

92,6%

91,7%

CTT

89,7%

89,3%

90,8%

90,1%

89,1%

CTT Expresso

1,9%

1,9%

1,6%

1,9%

2,2%

CTT Contacto

0,4%

0,5%

0,4%

0,6%

0,4%

Grupo Adicional

1,2%

1,9%

2,0%

2,1%

2,2%

Grupo GEOPOST / DPD Group

1,5%

1,7%

1,5%

1,7%

1,9%

Vasp Premium

0,9%

0,8%

0,8%

0,8%

1,0%

Notícias Direct

0,6%

0,6%

0,6%

0,6%

0,7%

Urbanos

0,4%

0,4%

0,4%

0,4%

0,4%

Grupo Nacex

0,3%

0,3%

0,3%

0,3%

0,3%

Iberomail

0,3%

0,3%

0,3%

0,3%

0,3%

TNT express

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

SDIM

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

Best Direct

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

0,2%

CityPost SA

1,5%

1,0%

0,4%

0,2%

0,2%

DHL

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

General Logistics Systems

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

0,0%

Outros prestadores

0,7%

0,5%

0,3%

0,4%

0,6%

Fonte: ANACOM
Unidade: %
Nota 1: As quotas de tráfego aqui apresentadas foram calculadas com base no número de objetos de envios de correspondência (incluindo a publicidade endereçada), livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas e encomendas postais reportadas pelas entidades legalmente habilitadas para prestarem o serviço em causa (ver anexo). Consideraram-se as definições de tráfego postal resultantes da Lei n.º17/2012, de 26 de abril.
Nota 2: A evolução da quota de tráfego do Grupo Adicional resulta da atividade de uma nova unidade de negócio.

3. Receitas dos serviços postais

No 3.º trimestre de 2017, as receitas totais provenientes dos serviços postais (excluindo o tráfego de entrada) atingiram cerca de 151,9 milhões de euros (+0,7% face ao trimestre homólogo).

Tabela 6 - Receitas retalhistas dos serviços postais

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

1. Correspondências

100 739

107 101

100 815

-5,9%

0,1%

2. Correio Editorial

5 331

6 098

5 442

-10,8%

2,1%

3. Publicidade Endereçada

4 651

4 778

4 056

-15,1%

-12,8%

4. Encomendas

40 157

40 372

41 608

3,1%

3,6%

Total

150 878

158 350

151 920

-4,1%

0,7%

Fonte: ANACOM
Unidade: Milhares de euros, %
Nota 1: Consideraram-se as definições de tráfego postal resultantes da Lei n.º17/2012, de 26 de abril.
Nota 2: As receitas não incluem as receitas de tráfego de entrada ao contrário do que aconteceu em trimestres anteriores.
Nota 3: A informação histórica referente a encomendas apresenta diferenças em relação aos relatórios de trimestres anteriores porque alguns prestadores procederam a uma reclassificação do tipo de objeto reportado.

A receita média por objeto (excluindo o tráfego de entrada) foi de 0,85 euros no terceiro trimestre de 2017, o que representa um aumento de 4,6% relativamente ao trimestre anterior e de 8,4% em comparação com o trimestre homólogo. Este aumento da receita média por objeto foi influenciado pelo aumento de preços promovido pelos CTT em 4 de abril de 2017 e pela evolução das receitas de outro prestador.

Tabela 7 - Receitas médias por objeto

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

1. Correspondências

0,66

0,70

0,71

2,1%

8,3%

2. Correio Editorial

0,40

0,41

0,42

1,4%

2,7%

3. Publicidade Endereçada

0,29

0,28

0,29

2,5%

0,1%

4. Encomendas

4,02

4,23

4,15

-2,0%

3,1%

Total

0,78

0,81

0,85

4,6%

8,4%

Fonte: ANACOM
Unidade: euros, %
Nota 1: Consideraram-se as definições de tráfego postal resultantes da Lei n.º17/2012, de 26 de abril.
Nota 2: As receitas em causa não incluem as receitas de tráfego de entrada, ao contrário do que aconteceu em trimestres anteriores devido à situação descrita em “Nota inicial”.

4. Indicadores da rede postal

Apresentam-se, de seguida, alguns indicadores referentes à rede postal, nomeadamente, meios humanos e meios materiais.

4.1. Meios humanos

No final do 3T2017, contabilizaram-se 14.802 trabalhadores afetos à exploração dos serviços postais, um aumento inferior a 0,1% face ao trimestre anterior e uma diminuição de 0,5% face ao trimestre homólogo do ano anterior (Vd. Tabela 8).

Tabela 8 - Meios humanos

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

Grupo CTT

11 876

11 754

11 708

-0,4%

-1,4%

Outros prestadores

3 006

3 045

3 094

1,6%

2,9%

Emprego total

14 882

14 799

14 802

0,0%

-0,5%

Fonte: ANACOM
Unidades: N.º de colaboradores, %

A evolução do número de trabalhadores no sector postal encontrava-se dentro do intervalo de previsão resultante da tendência histórica (Vd. Gráfico 4). Desde meados de 2015 que o emprego no sector postal parece ter estabilizado, tendo-se interrompido a tendência de decréscimo que se vinha registando nos últimos anos.

Gráfico 3 - Evolução trimestral do número de trabalhadores

A média de tráfego postal por trabalhador tem vindo a diminuir ao longo dos anos, apresentando os mesmos efeitos sazonais do tráfego total.

Gráfico 4 - Evolução trimestral do número médio de envios postais por trabalhador

Tabela 9 - Tráfego médio por trabalhador

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

Grupo CTT

14 938

15 390

14 027

-8,9%

-6,1%

Outros prestadores

5 159

4 741

4 816

1,6%

-6,7%

Total

12 963

13 199

12 101

-8,3%

-6,6%

Unidades: Número médio de envios por trabalhador, %.
Fonte: ANACOM.

4.2. Meios materiais

No 3T2017, e em comparação com o trimestre homólogo, o número de pontos de acesso aumentou 0,6%. O número de centros de distribuição diminuiu 0,2% e a frota de veículos diminuiu 1,2%.

Tabela 10 - Meios materiais

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

Grupo CTT

12 605

12 582

12 599

0,1%

0,0%

Outros prestadores

977

1 060

1 062

0,2%

8,7%

Pontos de acesso (1)

13 582

13 642

13 661

0,1%

0,6%

Grupo CTT

257

249

249

0,0%

-3,1%

Outros prestadores

146

153

153

0,0%

4,8%

Centros de distribuição(2)

403

402

402

0,0%

-0,2%

Grupo CTT

3 726

3 687

3 657

-0,8%

-1,9%

Outros prestadores

2 354

2 362

2 353

-0,4%

0,0%

Frota de veículos(3)

6 080

6 049

6 010

-0,6%

-1,2%

Unidades: Número, %
Fonte: ANACOM
(1) Locais físicos onde os utilizadores podem depositar os envios postais na rede postal, abrangendo, assim, os marcos de correio colocados ou não na via pública.
(2) Espaço físico no qual se processa a divisão dos envios postais de acordo com a área a que se destinam.
(3) Frota de veículos detidos e/ou subcontratados para a prestação dos serviços postais.

Em relação ao trimestre homólogo verificou-se um decréscimo do tráfego médio por ponto de acesso, por veículo e por centro de distribuição.

Tabela 11 - Tráfego médio por meios materiais

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

Pontos de acesso - Grupo CTT

14 074

14 377

13 035

-9,3%

-7,4%

Pontos de acesso – Outros

15 873

13 620

14 030

3,0%

-11,6%

Tráfego / acesso – Total

14 203

14 318

13 112

-8,4%

-7,7%

Centros de distribuição - Grupo CTT

690 274

726 464

659 543

-9,2%

-4,5%

Centros de distribuição – Outros

106 221

94 363

97 384

3,2%

-8,3%

Centros de distribuição – Total

478 681

485 888

445 587

-8,3%

-6,9%

Frota de veículos - Grupo CTT

47 611

49 061

44 907

-8,5%

-5,7%

Frota de veículos – Outros

6 588

6 112

6 332

3,6%

-3,9%

Tráfego / Frota de veículos – Total

31 728

32 291

29 805

-7,7%

-6,1%

Unidades: Número, %
Fonte: ANACOM

Quanto aos outros meios materiais (pertencentes na totalidade à concessionária do serviço postal universal), contabilizou-se uma diminuição em termos homólogos do número de marcos de correio (-0,4%), uma manutenção do número de máquinas automáticas de venda de selos, e um aumento do número de apartados e de postos onde apenas se podem adquirir selos (+0,3% e +0,7%, respetivamente).

Tabela 12 - Outros meios materiais

3T2016

2T2017

3T2017

Variação
trimestral

Variação
homóloga

Marcos do correio

9 657

9 609

9 617

0,1%

-0,4%

Apartados

152 939

153 517

153 347

-0,1%

0,3%

Máquinas automáticas de venda de selos

218

218

218

0,0%

0,0%

Postos onde apenas se podem adquirir selos

2 179

2 237

2 195

-1,9%

0,7%

Unidades: Número, %
Fonte: ANACOM

5. Anexo: Prestadores de serviços postais em atividade no 3T2017

Entidades habilitadas para a prestação de serviços postais no âmbito do serviço universal e em atividade durante o 3.º trimestre de 2017

Entidade

Serviços prestados

CTT Correios de Portugal, S.A.

Envios de correspondência, incluindo publicidade endereçada (Direct Mail), livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas. Encomendas postais.

SDIM - Sociedade de Distribuição de Imprensa da Madeira, Lda

Distribuição de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas.

NOTÍCIAS DIRECT - Distribuição ao Domicílio, Lda

Distribuição de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas.

URBANOS - Distribuição Expresso, S.A.

Encomendas postais.

IBEROMAIL - Correio Internacional, Lda.

Distribuição de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas.

LORDTRANS - Transportes Urgentes, Lda.

Distribuição de envios postais e encomendas.

VASP PREMIUM - Entrega Personalizada de Publicações, Lda.

Envios de correspondência, incluindo publicidade endereçada; Envios de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas, de âmbito nacional e internacional.

CTT Contacto, S.A.

Envios de correspondência, incluindo publicidade endereçada, livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas.

CITY POST,S.A.

Envios de correspondência, incluindo publicidade endereçada; Envios de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas, de âmbito nacional e internacional.

Best Direct, Lda..

Distribuição de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas. Encomendas postais.

Greapost, Lda.

Envios de livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas.

Nota: Prestadores com título habilitante que, de acordo com a informação estatística disponível, registaram tráfego postal no período em análise.

Entidades habilitadas para a prestação de serviços postais fora do âmbito do serviço universal e em atividade durante o 3.º trimestre de 2017

Entidade

CTTexpresso - Serviços Postais e Logística, S.A. (1)

DHL - Express Portugal, Lda

CHRONOPOST PORTUGAL – Transporte Expresso Internacional, S.A.

TNT Express Worldwide (Portugal)– Transitários, Transportes, e Serviços Complementares, S.A.

UPS OF PORTUGAL - Transportes Internacionais de Mercadorias, Lda

RANGEL EXPRESSO, S.A.

FEDERAL EXPRESS CORPORATION - Sucursal em Portugal

LOGISTA – Transportes, Transitários e Pharma, Unipessoal, Lda.

LISESPO Transportes, Lda. (4)

FOZPOST - Entrega e Recolha de Encomendas, Lda.(7)

RANEXPRESS - Transportes Rodoviários, Lda. (3)

EXPRESSODÃO - Transporte de Mercadorias, Lda.(3)

Transportes ANTÓNIO GARCIA & CÉSAR, Lda. (3)

P.P. EXPRESSO - Transportes de Mercadorias, Lda. (3)

JÁESTÁ - Tráfego e Serviços Logísticos, Lda. (3)

PRINCEPS, Comércio por Grosso, Lda. (3)

PORTOMAIL - Tranporte de Documentos e Encomendas, Lda. (3)

CONSIGO PELO MUNDO - Transporte e Entrega de Documentos, Unipessoal, Lda. (3)

ANTÓNIO MOREIRA Unipessoal, Lda. (5)

OBIK EXPRESS - Serviço de transportes, Unipessoal, Lda. (5)

OVERSPEED - Transportes de correio expresso, Lda. (5)

URBEXPRESS - Transportes expresso, Lda. (5)

VASTA SELECÇÃO - Comércio e serviços, Lda.  (5)

JOSÉ MANUEL ARAÚJO SILVA - Serviço de Transporte Urgente, Unipessoal, Lda. (3)

ATLANTICOURIER - Transporte e entrega de documentos Unipessoal, Lda.

POLIENTREGA, Lda. (3)

RANGEL EXPRESSO II, S.A.

GIGANTEXPRESS UNIPESSOAL, Lda (7)

BYALYK SERVICE, Unipessoal, Lda

TCI, Transporte Courier International, Lda

A SUA PRESSA - Recolha, Entrega e Distribuição de Mercadorias, Unipessoal, Lda. (5)

AUGUSTO JOSÉ CONCHA ENCARNADO, Sociedade Unipessoal, Lda. (5)

VASP PREMIUM - Entrega Personalizada de Publicações, Lda.

TRANSPORTES AZKAR (Portugal), Sociedade Unipessoal, Lda.

VARIANTACTIVA, Lda. (5)

ETAPAEXPRESS, Lda. (3)

VOLUMES AO CUBO, Courrier, Lda (3)

TRANSPORTA – Transportes Porta a Porta, S.A.

IMEXCO, Unipessoal, Lda (5)

GENERAL LOGISTICS SYSTEMS PORTUGAL, Lda.

ALFA LISBON - Gestão de Processos de Expedição, Lda.

ALFARIO – Gestão de Soluções Integradas de Transporte, Lda.

ALFALOC – Transportes, Lda.

TRÁFEGO DE LETRAS, Lda. (3)

URBENCOMENDA - Transportes, Sociedade Unipessoal, Lda. (3)

CÓDIGOS CRUZADOS, Lda. (3)

WIDECARE, Sociedade Unipessoal, Lda. (8)

PORTA NOTÍCIAS, Lda.

CORRIDA DESENFREADA Unipessoal Lda.

ALFAPRATA – Gestão de Soluções Integradas de Transporte, Lda.

BÓNUS COORDENADAS, Lda. (3)

SOBREXPRESS, Lda.

PEDRO CAMBEIRO, Unipessoal Lda. (3)

MENSAGEMLÁXIA, Lda. (3)

VELOZEFICÁCIA, Unipessoal Lda. (5)

ACTIVOS 24 - Distribuição, Eventos e Logística, Unipessoal Lda. (3)

CTT Contacto, S.A.

NUNO GONÇALO ÂNGELO MONTEIRO (3)

DAMIÃO DE BRITO – TRANSPORTES UNIPESSOAL, LDA. (5)

EXIGENTEXPRESS Transportes Unipessoal, Lda (3)

PAPEL REGULAR – Distribuição de Publicidade, Lda. (5)

ENTREGURU, Unipessoal, Lda.

Nota: Prestadores com título habilitante que, de acordo com a informação estatística disponível, registaram tráfego postal no período em análise.

(1) Foi autorizada pela ANACOM, em 01 Set. 2003, a transmissão da licença de que era titular a POSTEXPRESSO - Correio de Cidade, Lda. para a POSTLOG - Serviços Postais e Logística, S.A que, a partir do 4T04, passou a designar-se CTTexpresso - Serviços Postais e Logística, S.A.
(2) A empresa IBERCOURIER é proprietária da marca MRW.
(3) Empresa a prestar serviços postais sob a marca MRW em regime de franchising.
(4) Empresa a prestar serviços postais sob a marca SEUR em regime de franchising.
(5) Empresa a prestar serviços postais sob a marca NACEX em regime de franchising
(6) A empresa Logista é proprietária da marca Nacex.
(7) Empresa a prestar serviços postais sob a marca Envialia urgente em regime de franchising.
(8) Empresa pertencente ao GRUPO ADICIONAL

Notas
nt_title
 
1 Para efeitos de cálculo de tráfego, receitas e quotas, não é contabilizado o tráfego internacional de entrada.
2 Relatório elaborado com a informação disponível em 30/10/2017. Nos casos em que a informação não se encontrava disponível foram produzidas estimativas. A informação foi recolhida junto dos prestadores deste serviço e poderá ser objeto de alterações caso se verifiquem revisões ou atualizações. A informação histórica apresenta diferenças em relação aos relatórios de trimestres anteriores porque alguns prestadores procederam a uma reclassificação do tipo de objeto reportado.
3 Nos termos da legislação em vigor, por serviço postal entende-se a atividade que integra as operações de aceitação, tratamento, transporte e distribuição de envios postais. Entende-se por envio postal um objeto endereçado na forma definitiva obedecendo às especificações físicas e técnicas que permitam o seu tratamento na rede postal, bem como a respetiva entrega no endereço indicado no próprio objeto ou no seu invólucro, designadamente, envios de correspondência (comunicação escrita num suporte físico de qualquer natureza, incluindo a publicidade endereçada), livros, catálogos, jornais e outras publicações periódicas e encomendas postais (pequenos volumes contendo mercadorias ou objetos com ou sem valor comercial).
4 Considerando apenas o tráfego nacional e internacional de saída.
5 No presente relatório, e para efeito do cálculo da capitação postal, utilizaram-se as estimativas mais recentes da população, após Censos 2011, publicadas pelo INE. Por essa razão, os valores agora publicados não são comparáveis com os valores de relatórios anteriores.