Subscritores de pacotes de serviços aumentam 5,2% no 1º semestre

No final do primeiro semestre de 2018 o número de subscritores de pacotes de serviços de comunicações eletrónicas atingiu 3,8 milhões, mais 5,2% face ao semestre homólogo, o que se traduziu num aumento de 189 mil subscritores. O crescimento verificado deve-se sobretudo às ofertas com 4 ou 5 serviços (4/5P – telefone fixo, banda larga fixa, televisão paga, telemóvel e Internet móvel), que cresceram 7,3% em virtude da angariação de mais 117 mil subscritores e, em menor medida, aos pacotes com 3 serviços (telefone e Internet fixos e televisão paga), que aumentaram 6,3% ou 93 mil clientes.

No mesmo período as ofertas 2P perderam 21 mil clientes, o que se traduziu numa quebra de 4,1%.

Em termos de modalidades preferidas pelos consumidores, as ofertas 4/5P continuaram a ser as mais utilizadas no primeiro semestre de 2018, com 1,7 milhões de subscritores, representando 45,3% dos clientes totais. A oferta 3P, com 1,6 milhões de subscritores, contribui com 41,7% para o total de clientes.

A penetração dos pacotes de serviços atingiu 92,7 por 100 famílias clássicas, mais 4,1 pontos percentuais do que no período homólogo.

Quanto às receitas de serviços em pacote, atingiram cerca de 786 milhões de euros no final de junho. As ofertas 4/5P representavam 60% das receitas de pacotes, seguindo-se os pacotes 3P, com 32,9%. Em média, a receita mensal por subscritor de pacote, que inclui clientes residenciais e não residenciais, foi de 34,62 euros, não incluindo IVA. No caso das ofertas mais utilizadas (4/5P), a fatura média mensal atingiu os 46,12 euros.

No primeiro semestre de 2018, a MEO era o prestador com maior quota de subscritores de serviços em pacote (40,5%), seguindo-se o Grupo NOS (37,7%), a Vodafone (17,3%) e o NOWO (4,5%). A MEO liderava nos diversos tipos de oferta.

Resumo gráfico: pacotes de serviços - 1.º semestre 2018.


Consulte o relatório estatístico: