Serviço de distribuição de sinais de televisão por subscrição - 2018



Sumário executivo

85,9% das famílias dispõem de TV paga e 95,9% destes adquiriram o serviço integrado em pacote

No final de 2018 a penetração residencial do serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição atingiu 85,9 assinantes por cada 100 famílias clássicas. De acordo com o Barómetro de Telecomunicações da Marktest, cerca de 95,9% dos lares com TVS adquiriram este serviço integrado em pacote, mais 0,4 p.p. do que no período homólogo do ano anterior.

Assinantes de TV paga atingiram os 3,9 milhões devido ao crescimento das ofertas suportadas em FTTH

O número de assinantes do serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição atingiu 3,9 milhões no final de 2018, mais 140 mil do que no ano anterior. A taxa de crescimento do número de assinantes em 2018 foi de 3,7%, valor inferior à média dos últimos quatro anos (4,1%).

O crescimento do serviço deveu-se às ofertas suportadas em FTTH, que registaram mais 303 mil assinantes do que no ano anterior (+22,8%). A tecnologia FTTH tornou-se a principal forma de acesso a este serviço no primeiro trimestre de 2018 e representava, no final do ano, 41,4% do total de assinantes, mais 6,5 pontos percentuais (p.p.) do que no ano anterior.

Em simultâneo com o crescimento das ofertas FTTH, registou-se uma diminuição das restantes formas de acesso ao serviço. Os acessos suportados em redes de TV por cabo, TV por satélite (DTH) e ADSL diminuíram 0,9%, 8,7% e 18,2%, respetivamente, passando a representar 34,1%, 12,7% e 11,8% do total de acessos, respetivamente.

79,3% dos lares dispunham de mais de 100 canais, embora os subscritores de canais premium tenham atingido um mínimo histórico

Cerca de 79,3% dos lares com TV paga dispunham de mais de 100 canais, mais 3,1 p.p. do que em 2017.

Por outro lado, a percentagem de lares com acesso a canais premium foi de 15,8%. O valor mais baixo desde que se recolhe este tipo de informação registou-se no 3.º trimestre de 2018 (14,2%).

Aumentou a utilização das funcionalidades disponíveis, bem como a subscrição de serviços de video streaming on demand

A parcela dos assinantes que utilizaram pelo menos uma das funcionalidades do serviço atingiu cerca de 74% (+11,6 p.p. nos últimos quatro anos). As gravações automáticas continuam a ser o serviço mais usado.

No final de 2018, de acordo com o Barómetro de Telecomunicações da Marktest, 10,9% dos indivíduos com 10 ou mais anos tinham subscrito serviços de video streaming on demand (i.e Netflix, Fox Play, NPlay ou Amazon Prime Video), mais 4,5 p.p. face a 2017. O aumento da penetração destes serviços contribuiu para o crescimento do tráfego mensal por acesso de banda larga fixa (40,7%), que atingiu um novo máximo histórico (107,1 GB).

NOS lidera e MEO captou mais assinantes

O Grupo NOS continuou a ser o principal operador do serviço de distribuição de sinais de TV por subscrição, com uma quota de assinantes de cerca de 41,2%.

Além do Grupo NOS, existiam três operadores com quotas relevantes: a MEO (39,2%), que foi a entidade cuja quota mais cresceu em 2018, a Vodafone (15,1%) e a NOWO (4,3%).

Resumo gráfico: Distribuição de sinais de televisão por subscrição 2018