Serviços móveis - 1.º semestre de 2019



Esta informação é propriedade de ANACOM

Esta informação é propriedade de ANACOM

Sumário executivo

Penetração dos serviços móveis com utilização efetiva atingiu os 119,6 por 100 habitantes 

No primeiro semestre de 2019, a penetração do serviço móvel ascendeu a 170,1 por 100 habitantes. Caso sejam apenas considerados os acessos móveis com utilização efetiva (excluindo M2M), a taxa de penetração em Portugal seria de 119,6. Por outro lado, se se excluíssem os acessos afetos exclusivamente a serviços de dados e acesso à Internet (cartões associados a PC/tablet/pen/router), a penetração dos serviços móveis seria de 114,4 por 100 habitantes.

A penetração de acessos móveis comercializados em pacote com serviços prestados em local fixo foi de 39,9 por 100 habitantes.

Número de assinantes aumentou 0,2% no último ano

O número de acessos móveis habilitados a utilizar o serviço totalizou 17,5 milhões.

Destes, 12,3 milhões (70,3% do total), foram efetivamente utilizadas (exclui M2M). Desde 2012, que não se regista um crescimento significativo do número destes assinantes.

Excluindo o número de acessos afetos a PC/tablet/pen/router, o número de acessos móveis ascendeu a 11,8 milhões.

O número de assinantes que efetivamente utilizam o serviço aumentou 0,2% em comparação com o primeiro semestre de 2018. A evolução verificada é explicada pela evolução dos planos pós-pagos e híbridos1 (+5,1% no último ano), que continuaram a evidenciar uma tendência de crescimento, enquanto que os planos pré-pagos estão em queda, representando agora 42,1% do total.

Tráfego por acesso de voz móvel atingiu 202 minutos por mês

O tráfego de voz móvel aumentou 1,6% face ao primeiro semestre de 2018, em termos de minutos. O número de minutos de conversação por estação móvel no primeiro semestre de 2019 foi, em média, de 202 por mês, mais 2 minutos que em igual período do ano anterior.

A evolução ocorrida no tráfego de voz em minutos deveu-se, sobretudo, ao crescimento do tráfego off-net2 que aumentou 5,3% face ao primeiro semestre de 2018.

Penetração da Internet móvel foi de 75,9 por 100 habitantes

O número de utilizadores efetivos do serviço móvel de acesso à internet fixou-se em 7,8 milhões (+8,6% que em igual período do ano anterior), o que corresponde a uma penetração de cerca de 75,9 por 100 habitantes. Este crescimento está associado ao aumento dos utilizadores de Internet no telemóvel (+9,8%, face ao primeiro semestre de 2018).

Tráfego de Internet móvel aumentou 36,1% e o tráfego médio mensal chegou aos 3,5 GB/mês

O tráfego de acesso à Internet em banda larga móvel aumentou 36,1% face a igual período do ano anterior. O tráfego mensal por utilizador ativo de Internet móvel aumentou 26,6% face ao período homólogo. Cada utilizador de BLM consumiu em média 3,5 GB por mês.

Acessos Machine-to-machine (M2M) aumentaram 10,4%

No primeiro semestre de 2019 contabilizaram-se cerca de 1,16 milhões de acessos móveis ativos afetos a M2M, um aumento de 10,4% em relação ao semestre homólogo.

Tráfego em minutos de roaming in superior ao de roaming out

O número de chamadas e minutos de voz em roaming out3 aumentou 9,6% e 11% em relação ao semestre homólogo, respetivamente. O volume de tráfego de Internet em GB aumentou 87%.

Com exceção do número de mensagens escritas, o tráfego de roaming in4 registou aumentos significativos em todos os tipos de tráfego face a igual período do ano anterior, com destaque para o tráfego de Internet (+63,6%).

O grau de cobertura do tráfego em minutos de roaming in por roaming out foi de 76%. Nos últimos 5 anos a balança de roaming (roaming inroaming out) foi superavitária apenas em 2017. Pelo contrário, no caso do acesso à internet (GB), o tráfego em roaming in é substancialmente mais elevado que o tráfego em roaming out. Neste semestre, o volume de tráfego em roaming in foi 2,7 vezes superior ao tráfego em roaming out.

Quotas dos prestadores

A MEO foi o prestador com a quota mais elevada (42,1%) dos acessos móveis ativos com utilização efetiva, seguida da Vodafone e da NOS com quotas de 30,3% e 25,0%, respetivamente. Face ao período homólogo, a quota de acessos móveis da NOS aumentou em 0,3 p.p., tendo a quota da Vodafone permanecido inalterada e a MEO visto a sua quota diminuir em 0,6 p.p. O nível de concentração, medido pelo índice Herfindahl-Hirschman, apesar de elevado, diminuiu ligeiramente face ao mesmo período do ano anterior.

No primeiro semestre de 2019, foram portados cerca de 293 mil números móveis, um aumento de 6,4% face a igual período do ano anterior.

No caso das quotas de subscritores de acesso à Internet em banda móvel, a quota da MEO foi de 39,3%, seguindo-se a Vodafone com 30,4% e a NOS 28,6%. Face ao período homólogo, as quotas de utilizadores de Internet móvel da Vodafone e da MEO aumentaram, respetivamente, em 0,3 p.p. e em 0,2 p.p., tendo a quota da NOS diminuído em 0,7 p.p.

A NOS detém quota mais elevada de tráfego de internet em banda larga (40,9%), seguida da Vodafone e da MEO (30,4% e 28,3%, respetivamente). Face ao período homólogo, a quota da NOS aumentou 4,8 p.p. As quotas da Vodafone e da MEO diminuíram 4,2 p.p. e 0,5 p.p. respetivamente.

Resumo gráfico: Serviços móveis - 1.º Semestre de 2019.

Notas
nt_title
 
1 Os planos híbridos são planos tarifários que apresentam, simultaneamente, características de plano pós-pago e pré-pago. Estes planos incluem um plafond de tráfego em regime pós-pago. No entanto, o tráfego extra-plafond é tarifado em regime pré-pago.
2 O tráfego off-net é o tráfego de voz com origem no prestador e destino noutros prestadores do STM.
3 O tráfego roaming out é o tráfego gerado e terminado por assinantes dos operadores nacionais enquanto utilizadores de redes de outros operadores no estrangeiro.
4 O tráfego de roaming in é o tráfego cursado (originado e terminado) nas redes nacionais por assinantes de redes estrangeiras.