Serviço telefónico fixo - 1.º semestre de 2020



Sumário Executivo

91,2% das famílias dispunha do serviço telefónico fixo

No primeiro semestre de 2020 (1S2020), a taxa de penetração dos acessos telefónicos principais atingiu 50 acessos por 100 habitantes. A taxa de penetração dos acessos instalados a pedido de clientes residenciais ascendeu a 91,2 por 100 famílias clássicas.

Número de clientes aumentou 2,3%

No 1S2020 o número de clientes do serviço telefónico fixo na modalidade de acesso direto era cerca de 4,2 milhões, mais 94 mil (+2,3%) do que no semestre homólogo do ano anterior. O crescimento registado é consistente com a tendência histórica estimada e está associado à crescente penetração das ofertas em pacote que integram telefonia fixa.

Redes de nova geração responsáveis pelo crescimento do número de acessos

O parque de acessos telefónicos principais atingiu 5,1 milhões de acessos equivalentes, mais 124 mil acessos do que no semestre homólogo. O crescimento verificado (+2,5%), deveu-se sobretudo ao aumento dos acessos VoIP/VoB (+330 mil acessos), nos quais se incluem os acessos suportados em redes de fibra ótica e TV por cabo.

No 1S2020, os acessos suportados em redes alternativas à rede tradicional (acessos analógicos e RDIS) representavam 78,4% dos acessos telefónicos principais.

Tráfego originado na rede fixa aumentou pela primeira vez desde 2012 devido ao impacto da COVID-19

O volume de minutos originado na rede fixa aumentou 9,3% em relação ao 1S2019 (-16,1% no semestre homólogo do ano anterior). Trata-se do primeiro aumento homólogo desde o primeiro semestre de 2012.

Este aumento excecional resultou da significativa alteração dos padrões de utilização do serviço resultante da COVID-19. Por exemplo, na semana em que entrou em vigor o estado de emergência (semana de 16 a 22 de março), o tráfego de voz fixa cresceu 61% face à semana anterior à declaração de pandemia (2 a 8 de março).

Por tipo de chamada, o crescimento ocorrido deveu-se sobretudo ao crescimento do tráfego nacional fixo-fixo (+9,3%) e fixo-móvel (+18,2%). De referir ainda que a redução do tráfego internacional (-6,4%) foi a mais moderada desde o primeiro semestre de 2015 e que a diminuição do tráfego nacional originado em postos públicos (-40,4%) foi a maior desde que há registo. O tráfego VoIP nómada (+29,8%) registou o maior aumento desde o primeiro semestre de 2017.

Pelo motivo anteriormente mencionado, a duração média das chamadas originadas na rede fixa aumentou cerca de 41 segundos relativamente ao semestre homólogo do ano anterior (+20,2%). A duração média das chamadas nacionais fixo-fixo aumentou 58 segundos (+23,6%).

Quotas dos prestadores

No final do 1S2020, a quota de clientes de acesso direto da MEO atingiu 42,1%, seguindo-se o Grupo NOS com 35,8%, a Vodafone com 18,4% e o Grupo NOWO/Onitelecom com 3,4%. As quotas de clientes de acesso direto da MEO, NOS e NOWO/Onitelecom diminuíram 0,2, 0,4 e 0,4 p.p., respetivamente, tendo a quota da Vodafone aumentado 0,9 p.p.1.

O nível de concentração em termos de tráfego, medido pelo índice Herfindahl-Hirschman, apesar de elevado, diminuiu ligeiramente face ao semestre homólogo.

Resumo gráfico: serviço telefónico fixo - 1.º semestre de 2020.

Notas
nt_title
 
1 As variações apresentadas não somam zero devido a arredondamentos.