Banda larga móvel cresce acima da banda larga fixa

No final de Dezembro existiam em Portugal cerca de 2,4 milhões de utilizadores com acessos à Internet em banda larga móvel e cerca de 1,68 milhões de clientes com acessos à Internet fixos, dos quais aproximadamente 1,63 milhões em banda larga.

A banda larga móvel apresentou um ritmo intenso de crescimento durante o período em análise. O número de utilizadores registado aumentou cerca de 278 mil no 4º trimestre de 2008, para 2,378 milhões, mais 13% do que no trimestre anterior. Face ao período homólogo o crescimento é de 63%.

Para além do elevado crescimento verificado no número de acessos em banda larga móvel, tem igualmente crescido a sua utilização pelos detentores desses acessos. O número de utilizadores de banda larga móvel activos no período em análise cresceu cerca de 14% no último trimestre, ascendendo a 1,161 milhões de utilizadores, mais 75,9% que no trimestre homólogo.

O tráfego de acesso à Internet dos acessos móveis (em MB) cresceu 9% face ao trimestre anterior.

No caso do serviço fixo de acesso à Internet, o número total de clientes (cerca de 1,68 milhões) aumentou, 2,1% no 4º trimestre face ao trimestre anterior e 3,9% face ao trimestre homólogo.

O número de clientes de acesso dial-up continuou a decrescer em resultado da migração dos utilizadores para a banda larga. Neste trimestre, o número destes clientes atingiu cerca de 41 mil, menos cerca de 4 500 que no trimestre anterior. Entre Dezembro de 2007 e Dezembro de 2008, os acessos dial-up decresceram 58,7%.

A maioria dos clientes do serviço fixo de acesso à Internet utiliza a banda larga; os clientes destes serviços representam cerca de 98% do total de clientes. O número de clientes dos serviços de banda larga fixa atingiu cerca de 1,6 milhões de utilizadores no final de Dezembro, mais cerca de 39 mil que no trimestre anterior. Os clientes de banda larga fixa aumentaram 2,5% face ao trimestre anterior e 8,1% em termos homólogos.

A principal tecnologia de acesso à Internet em banda larga fixa continua a ser o ADSL, que representa agora 58%, quatro pontos percentuais abaixo do máximo registado há dois anos. O modem cabo é utilizado por 40,5% dos clientes da banda larga fixa. Os acessos por circuitos alugados, FWA e fibra óptica, representam cerca de 1,6% do total de clientes.

Em matéria de quotas de clientes de banda larga fixa, a quota de clientes do Grupo Portugal Telecom situou-se nos 41,6%, 0,8 pontos percentuais acima do trimestre anterior. Este aumento da quota de clientes do Grupo PT é explicado sobretudo pela evolução do serviço MEO da PT Comunicações.

A ZON Multimédia anunciou a aquisição das empresas do Grupo Parfitel (Bragatel, Pluricanal Leiria e Pluricanal Santarém), assim como da TV Tel, operações que obtiveram aprovação definitiva por parte da Autoridade da Concorrência em 24 de Novembro de 2008. Em virtude destas aquisições e da actividade própria das unidades de negócio anteriormente existentes, a quota de clientes da ZON/TV Cabo cresceu 3,4 pontos percentuais no período em análise, para 31,3%.

Segue-se a Sonaecom com 12,5%, a Cabovisão com 9,3%, a Vodafone com 2,8% e a Ar Telecom com 1,5%. Existe depois um grupo de operadores alternativos que totalizam 1% do mercado.

De acordo com os dados disponíveis, verificou-se que, no trimestre em análise, cerca de 77% dos novos clientes de banda larga fixa aderiram aos serviços dos operadores do Grupo PT, em particular devido à expansão associada ao serviço MEO da PT Comunicações.

No final de Dezembro, a taxa de penetração do acesso à Internet em banda larga fixa situava-se nos 15,4 por 100 habitantes para os acessos fixos e em 22,4 por 100 habitantes para os acessos móveis.

No caso dos acessos fixos este valor aumentou 0,4 pontos percentuais relativamente ao registado no trimestre anterior, situando-se 1,2 pontos percentuais acima do registado no período homólogo. No que respeita à banda larga móvel, a taxa de penetração cresceu 2,6 pontos no último trimestre.

Não existe neste momento informação generalizada, comparável e disponível sobre a penetração da banda larga móvel nos restantes países da UE, embora algumas entidades internacionais, nomeadamente a Comissão Europeia, já tenham comunicado a intenção de iniciar a recolha deste tipo de informação.

A ANACOM foi dos primeiros reguladores europeus a recolher a divulgar informação sobre os acessos em banda larga móvel (desde Janeiro de 2007) e tem desencadeado todos os esforços no sentido de promover comparações internacionais que a incluam.

Informação sobre a penetração de banda larga móvel (placas/modem) na U.E. (4T08)


(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

Informação sobre a penetração de banda larga na U.E. (2T08)


(Clique na imagem para ver o gráfico numa nova janela)

 


Consulte: