Clientes de redes de alta velocidade aumentam 10,8% no último ano

O número de clientes residenciais que dispunham de redes e serviços de alta velocidade em local fixo atingiu os 2,4 milhões no primeiro semestre de 2018, mais 10,8% do que o valor registado no semestre homólogo. O Alentejo e a Região Centro foram as regiões do país que registaram aumentos mais expressivos, com 30,8% e 21,3%, respetivamente.

No mesmo período existiam cerca de 4,5 milhões de alojamentos cablados com uma rede de alta velocidade, mais 4,8% que no semestre homólogo. A cobertura de redes de alta velocidade era, no mínimo, de 71,8%. A região autónoma da Madeira e a região Centro foram as que mais aumentaram a cobertura no semestre, com crescimentos de 19,5% e de 10%, respetivamente.

No final de junho, o número estimado de alojamentos cablados com fibra ótica ascendia a 4,2 milhões, mais 10,5% do que no semestre homólogo. No mínimo cerca de 66,5% dos alojamentos familiares clássicos e estabelecimentos dispunham de acesso a pelo menos uma rede de fibra, mais 6,3 pontos percentuais do que em igual período do ano anterior. Por regiões, os aumentos mais expressivos face ao período homólogo registaram-se nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, com mais 46,8% e 34,6%, respetivamente. Estas regiões, juntamente com a área metropolitana de Lisboa, apresentavam uma cobertura mínima de redes de fibra acima dos 70%.

Já o número de alojamentos cablados com acessos de alta velocidade suportados em redes de TV por cabo aumentou 0,4%, totalizando 3,5 milhões, o que se traduz numa cobertura de 55,8%.

Clientes de redes de alta velocidade aumentam 10,8%


Consulte o relatório estatístico: