Televisão digital terrestre (TDT)


  1. 1
    Porque se realiza a migração da TDT?

    A Decisão (UE) 2017/899https://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1410338 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 17 de maio, relativa à utilização da faixa de frequências de 470-790 MHz na União, determina que «a partir de  30 de junho de 2020, os Estados-Membros permitem a utilização da faixa de frequências de 694-790 MHz («700 MHz») pelos sistemas terrestres capazes de fornecer serviços de comunicações eletrónicas sem fios em banda larga».

    Tal implica que em Portugal, bem como nos outros países europeus, esta faixa seja libertada das atuais utilizações de televisão digital terrestre (TDT).

    Uma vez libertada a faixa dos 700 MHz, esta será disponibilizada para a prestação de serviços de comunicações eletrónicas terrestres sem fios de banda larga, nomeadamente a 5ª geração móvel (5G), uma tecnologia que permitirá o desenvolvimento do país, da sua economia e uma melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

  2. 2
    Em que consiste a migração da TDT?

    A migração da rede de televisão digital terrestre (TDT), que transmite a RTP1, a RTP2, a RTP3, a RTP Memória, a SIC, a TVI e o Canal Parlamento, consiste na alteração das frequências dos emissores que utilizam a faixa de frequências 694-790 MHz (“faixa dos 700 MHz”) para novas frequências de emissão.

    Esta alteração deve-se ao facto de a “faixa dos 700 MHz” ter se ser libertada, até 30 de junho de 2020, para ser disponibilizada para a prestação de serviços de comunicações eletrónicas terrestres sem fios de banda larga.

  3. 3
    Como vai decorrer o processo de migração da TDT?

    As alterações de frequência dos emissores da rede de televisão digital terrestre (TDT) serão feitas de forma faseada. Terão início no Algarve entre a 2.ª quinzena de janeiro e a 1.ª semana de fevereiro de 2020, em data a confirmar, e irão estender-se pelo continente, acabando no litoral norte (Minho), seguindo-se então as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. O processo estará concluído até ao final de junho de 2020.

    Decorre, todavia, a 27 de novembro de 2019 um teste piloto no emissor de Odivelas Centro, que potencialmente abrange não só Odivelas, mas também as freguesias de Santa Clara, Carnide e Lumiar, em Lisboa, e de Encosta do Sol, na Amadora, para aferir previamente e em ambiente limitado, as ações de apoio ao utilizador a realizar no decorrer do processo.

    Etapas da mudança de canal no resto do paísEtapas da mudança de canal no resto do país

    *Estes canais, nestas regiões, já se encontram atualmente em funcionamento pelo que não carecem de alteração.

  4. 4
    Como serão afetados os cidadãos com a migração da TDT?

    Este processo não terá qualquer impacto em parte dos utilizadores de televisão digital terrestre (TDT), designadamente aqueles que já têm os equipamentos sintonizados para os canais 40, 42, 45, 46, 47 e 48, correspondentes a frequências abaixo dos 700 MHz, dado que estes não serão objeto de qualquer alteração.

    Os utilizadores que serão impactados com este processo de alteração de frequências são aqueles que têm os equipamentos sintonizados para um dos cerca de 240 emissores que utilizam os canais radioelétricos 49, 54, 55 ou 56, correspondentes a frequências acima dos 700 MHz, e que terão de voltar a sintonizar o seu televisor ou box TDT, usando o respetivo comando.

    Note-se que não será necessário adquirir novas antenas de receção, nem trocar de televisor ou o descodificador TDT (box). Também não será necessário reorientar as antenas de receção (os emissores vão ficar no mesmo sítio).

    Também ninguém terá que subscrever serviços de televisão paga (pacotes de televisão), pois todas as pessoas poderão continuar a ver televisão gratuita, como acontece agora.

    Sublinhamos que a única coisa a fazer, quando ficar sem imagem no televisor, com o écran negro, é ressintonizar a televisão ou o descodificador TDT para o novo canal.

    Alertamos ainda os utilizadores da TDT no sentido de estarem atentos e denunciarem quaisquer tentativas de terceiros de os induzir a fazer a aquisição de equipamentos ou a adesão a serviços de televisão paga com o argumento fraudulento de que tal seria necessário face à próxima mudança de frequências da TDT.

  5. 5
    Quem tem de ressintonizar a TV/box?

    A ressintonização da TV/box tem de ser efetuada por todos os utilizadores que se encontrem atualmente a receber a televisão digital terrestre (TDT) através dos emissores que utilizam os canais radioelétricos 49, 54, 55 ou 56, correspondentes a frequências acima dos 700 MHz.

    Esta migração não afetará:

    • quem possui serviço de televisão por subscrição (IPTV, cabo, fibra ou satélite);
    • os utilizadores que se encontrem numa zona de cobertura TDT complementar via satélite (DTH);
    • os utilizadores que já estão sintonizados nos emissores que utilizam os canais 40, 42, 45, 46, 47 e 48.
  6. 6
    Quando tenho de ressintonizar a TV/box?

    A ressintonia da TV/box de quem recebe a televisão digital terrestre (TDT) tem de ser efetuada quando ficar sem imagem no televisor.

    Saiba como sintonizar aquihttps://www.youtube.com/embed/cZn8SyO7Ob4?rel=0&autoplay=1.

  7. 7
    O que tenho de fazer para sintonizar os novos canais TDT?

    Para proceder à sintonização dos novos canais de televisão digital terrestre (TDT) – quando ficar sem imagem no televisor -  basta efetuar nova sintonia - automática ou manual – através do comando do seu equipamento (box/TV) para voltar a ter a emissão da TDT.

    Vê televisão gratuita? Conhece quem veja? Saiba como sintonizar as novas frequências da TDT através deste vídeo.https://www.youtube.com/embed/cZn8SyO7Ob4?rel=0&autoplay=1

  8. 8
    É necessário comprar novos equipamentos?

    Não. Não precisa de alterar a sua televisão ou adicionar ou alterar os descodificadores externos (box) para continuar a receber a programação completa da televisão digital terrestre (TDT).

    Contudo, os edifícios ou condomínios que tenham, nas suas instalações de amplificação e distribuição de sinal, amplificadores mono-canal, poderão ter de os substituir.

  9. 9
    Vive num edifício com antena coletiva? O que é necessário fazer para continuar a receber o sinal de TDT?

    O processo de migração da televisão digital terrestre (TDT) poderá exigir a adaptação de infraestruturas coletivas de receção nos edifícios. Essa adaptação não será igual para todos, dependendo do tipo de infraestrutura em uso nos prédios.

    Assim, se na instalação de receção do seu prédio possui:

    • amplificador banda larga: não necessita de realizar alterações no sistema de receção. Apenas terá de ressintonizar a box/TV;
    • central de comando configurável: terá de reprogramar a unidade para a nova frequência do emissor que está a receber, caso este utilize atualmente uma frequência da faixa dos 700 MHz;
    • amplificador mono-canal - terá de substituir/adicionar um amplificador mono-canal, caso o atual esteja sintonizado numa frequência da faixa dos 700 MHz.

    Download de ficheiro Saiba mais sobre a tipificação das instalações de receção TDT

  10. 10
    Quem é o responsável pela alteração de frequências nos emissores da TDT?

    A entidade responsável pela alteração de frequências nos emissores de televisão digital terrestre (TDT) é a MEO – Serviços de Comunicações e Multimédia, uma vez que foi esta a entidade que instalou a rede TDT e que detém a exploração da mesma, sendo, como tal, também a entidade responsável pelas alterações que vão ser efetuadas.

  11. 11
    Quem pode ajudar na sintonia da TV/box?

    Todas as dúvidas que tiver sobre a sintonia dos canais para a receção de televisão digital terrestre (TDT) podem ser esclarecidas  através de consulta na área da televisão digitalhttps://www.anacom.pt/render.jsp?categoryId=410664 ou através  do número gratuito do serviço de atendimento da TDT  800 10 20 02, disponível todos os dias, das 9h00 às 22h00.

  12. 12
    O que acontece se não efetuar a sintonização após a migração?

    Se se encontra numa zona servida pelos emissores que vão sofrer alterações de frequências e se não efetuar a nova sintonia, deixará de receber o sinal de televisão digital terrestre (TDT).

  13. 13
    Como serei informado das alterações que vão ser efetuadas?

    A ANACOM vai fazer chegar a todos as residências e estabelecimentos comerciais uma carta e um folheto informativo com toda a informação, através de um mailing não endereçado a nível nacional, por vagas que acompanharão as fases da migração. Vão estar disponíveis outros materiais explicativos e informativos dos passos a seguir para se efetuar a ressintonia, como folhetos, cartazes, mupis e outdoors e vídeos. Vão ser realizadas sessões de esclarecimento, em ligação com as juntas de freguesias e outras entidades relevantes e será disponibilizado um posto móvel de apoio aos cidadãos (situado em locais centrais), para esclarecer dúvidas, entregar folhetos e dar informação sobre a sintonização dos diferentes tipos de aparelhos (televisões e box).

    Desta forma, a ANACOM e as restantes entidades envolvidas neste processo informarão o público sobre quando terão que realizar a nova sintonia e quais os passos a tomar.

    Existe também um serviço de atendimento ao cidadão, através do número de telefónico gratuito 800 10 20 02, disponível todos os dias, das 9h00 às 22h00.